00:00:00
Home / Cidade / Câmara aprova ambulantes da cidade no centro, desde que cadastrados
Votação do projeto substitutivo que disciplina o comércio de ambulantes no centro

Câmara aprova ambulantes da cidade no centro, desde que cadastrados

Ambulantes e moradores comparecem à sessão

A Câmara de Junqueirópolis aprovou na sessão de segunda-feira, 19, um pojeto substitutivo que disciplina o comércio ambulante na cidade, determinando que os vendedores de Junqueirópolis só poderão exercer a venda no quadrilátero central do perímetro urbano, mediante cadastro e pagamento de taxa na Prefeitura.
Acrescenta ainda o documento aprovado por unanimidade, que os ambulantes só poderão exercer o trabalho portando documento de identificação com foto, número de inscrição e atividade que exerce.
AMBULANTES DE OUTRAS CIDADES- A lei aprovada fixa que “as atividades do comércio ambulante dis vendedores de outras cidades só serão autorizadas fora do quadrilátero central, apontados no projeto, mediante recolhimento de taxa de comércio ambulante. O projeto foi aprovado em votação única e segue para sanção do prefeito Hélio Furini.
A lei aprovada substitui do projeto de lei (PL 026/19), do Executivo, apresentado à Câmara para votação na sessão do dia 5 de agosto, mas foi retirada da ordem do dia para vistas de dez dias para melhor análise, a pedido do vereador Gílson de Souza.

Vereador Gílson de Souza, durante explicações sobre a análise do projeto

O PL do Executivo vedava o comércio dos ambulantes no centro. O projeto foi apresentado a pedido de comerciantes. A principal justifcativa dos vereadores ao votarem o projeto subsitutivo, foi de acordo com eles, pela questão social, notadamente pelo quadro de desemprego o qual passa o país.
“Analisamos melhor o projeto e ponderamos o quadro social do país vive, com a população desempregada”, salientou Gílson.
Ambulantes da cidade compareceram à sessão para acompanhar a votação. Segundo os vereadores as taxas a serem cobradas pelos ambulantes do município para trabalharem na área central, não será alta, mais de forma simbólica para não se tornar oneroso.
O presidente da Câmara, Marcos Ruiz salientou que a lei disciplina o comércio ambulante na cidade e o prazo de entrar em vigor a partir de janeiro de 2020, será o tempo adequado para fazerem os cadastros e se regularizem. Ruiz ressalta que a lei aprovada pelos vereadores ainda depende da sanção do Executivo.
A discussão do projeto antes da votação teve pronunciamentos dos vereadores Valdir Chimbinha, Anderson Neguinho, Rael da Saúde, Eliseu Adriano  e Professor Gílson, que pediu vistas ao projeto.

Vereador Valdir Chimibinha
Vereador Anderson Neguinho
Vereador Rael da Saúde
Vereador Eliseu Adriano

 

 

 

 

Comente com o Facebook !!

Sobre Gilmar Pinato

Jornalismo-Faculdade de Comunicação Social Helio Alonso- Rio de Janeiro (RJ), 1986- MTb 24.051 -Estágio Jornal O Estado de São Paulo (S.P. ag/dez.88). -Assessor de Imprensa Oficina Cultural Timochenco Wehbi (P.Pte-SP) -Repórter Jornal O Imparcial (P. Pte). -Produtor TV Fronteira- (P. Pte) -Repórter Jornal O Liberal, Araçatuba (SP), -Assessor de Imprensa Parlamentar- Assembleia Legislativa (Alesp). -Repórter Jornal Regional- Dracena (SP).

Veja Também

VENDAVAL CAUSOU DANOS NO CEMITÉRIO, INFORMA COVEIRA RESPONSÁVEL

Uma chuva com forte vendaval que atingiu cidade na tarde da última segunda-feira, 4/11, causou ...