Home / Cidade / TELEFONES PÚBLICOS CONTINUAM TENDO USOS NA CIDADE
Telefone público em funcionamento no centro de saúde

TELEFONES PÚBLICOS CONTINUAM TENDO USOS NA CIDADE

Orelhão na praça Álvaro Junqueira (atualmente em obras): crianças tentam entender o funcionamento

(Jornal A Notícia) – Por mais que pareça uma volta ao passado, o telefone público, o popular orelhão, continua operando e sendo utilizado, claro com frequências bem menores pela população. Em diversos pontos de Junqueirópolis é possível encontrar os orelhões instalados.
Nas praças, nos bairros, em frente a prédios públicos, os velhos telefones fixos estão lá funcionando, alguns até sem orelhões, mas prontos para o uso, apesar do avanço tecnológico cada vez mais veloz dos telefones celulares, os smartphones.
Nas dependências internas do Centro de Saúde, por exemplo, há um telefone público, fixo na parede, sem o orelhão e de acordo com uma funcionária, o aparelho é utilizado por usuários do Centro. Na praça Álvaro Junqueira, centro, a reportagem flagrou crianças curiosas e tentando entender como funciona o aparelho.
ANATEL-Segundo a Agência Nacional de Telecomunicações (Anatel), “o telefone público, é uma importante ferramenta no processo de expansão da telefonia fixa e de acesso à informação no país”.
“O Brasil conta com mais de um milhão de aparelhos, distribuídos por mais de 5,5 mil municípios, os telefones públicos estão presentes inclusive em localidades onde ainda não há disponibilidade de linhas residencial”, informa a Anatel.
Uma regra da Anatel é que no mínimo 2,5% dos orelhões de cada localidade sejam adaptados para cada tipo de deficiência, seja auditiva, de fala ou de locomoção, o que será feito mediante solicitação, e todos os telefones públicos devem estar adaptados às pessoas com deficiência visual.
VIVO-Já a operadora Vivo, no site oficial, informa que os cartões telefônicos usados para fazer a ligação no telefone público fixo, realiza chamadas locais, fixo e celular e chamadas a longa distância (DDD) podem ser adquiridos em padarias, supermercados, farmácias e demais pontos comerciais.
Os preços dos cartões variam, segundo a Vivo de R$ 2,65 (30 unidades de crédito), suficientes para cerca de 40 minutos nas ligações locais a R$ 9,78 (75 unidades de crédito) com direito a cerca de 150 minutos em ligações locais.

Segundo a Anatel os telefones públicos são importantes ferramentas para expansão da telefonia fixa no país
Comente com o Facebook !!

Sobre Gilmar Pinato

Jornalismo-Faculdade de Comunicação Social Helio Alonso- Rio de Janeiro (RJ), 1986- MTb 24.051 -Estágio Jornal O Estado de São Paulo (S.P. ag/dez.88). -Assessor de Imprensa Oficina Cultural Timochenco Wehbi (P.Pte-SP) -Repórter Jornal O Imparcial (P. Pte). -Produtor TV Fronteira- (P. Pte) -Repórter Jornal O Liberal, Araçatuba (SP), -Assessor de Imprensa Parlamentar- Assembleia Legislativa (Alesp). -Repórter Jornal Regional- Dracena (SP).